Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Aos nossos amigos e visitantes

Blog direccionado para a recolha de Fotos, Trabalhos, Documentos, Vídeos etc. sobre " O Passado, Presente e Futuro do Peso" . Procuramos dentro do possível, transmitir o que de mais relevante se passa no Peso e ser um elo de ligação entre os residentes e ausentes. Colabora e envia o que tiveres de interesse sobre o Peso e suas Gentes Agradecimentos - Pela colaboração na cedência de fotos e outros trabalhos às seguintes Pessoas : Rui Morão,José Batista Vaz Pereira, Família de José Pereira Santos, Tó Aníbal, José Batista, Família de João Abrantes Ferraz, Família de José Pires Simões, Vicente Olímpio dos Santos, Família de Manuel Afonso Oliveira, Yoann Manuel Pereira, Maria Pires Serralheiro, António Madeira Varandas, Maria Leonor Ferreira Pires Morão, Ramiro Morais Valentim, Francisco Madeira (Lisboa), Família de Carmelina Ferreira Morão, Patrocínia Proença, João Abrantes dos Santos, Joaquim dos Santos, Joaquim Proença Rebelo, José Mateus Casteleiro, Júlio Mendes Silva ( Morador ao pé do Santuário), Elvira Morais, Artur do Santos Pereira (Ourém), Maria Casteleiro, Maria \"Caraia \", Beatriz Pires, João Mateus Casteleiro, Carlos Casteleiro ( França ), Família de José Guilherme, Humberto Morão (Covilhã), Margarida Maria (Covilhã), Belarmino Batista ( Canadá ), Ângelo Agostinho, Margarida Pires, José dos Santos Vaz, Família de João Sardinha ( sacristão), António Mingote, Mariazinha Lobo, António Pinto ( França ), António Proença ( Barreiro), Álvaro Olímpio, Fernando Morais Valentim ( França ), Sofia Bento ( França ), Família de José Alfredo Aleixo, José Honório Rodrigues, Família de Joaquim Abrantes Ferraz, Rui Machado (Pesenses no Brasil ), Rosa "Cortiça" ( França ) .Se eventualmente omitimos alguma pessoa pedimos desculpa pelo facto e agradeço informação. José P. Santos O nosso Email - aldeiadopeso@sapo.pt A nossa recomendação: Qualquer reprodução dos seus conteúdos deve ser sempre feita com referência à sua autoria.

História da Paróquia

por José P. Santos, em 01.04.15

 

 Apontamentos Históricos da Paróquia da Aldeia do Peso

igreja 2.jpg

Apontamentos Históricos

Da Paróquia do Peso, fazem parte as localidades de Vales do Rio e Pesinho

Na Igreja Paroquial existem o altar-mor onde no centro há uma moldura da custódia para exposição do S. Sacramento e as imagens de N. S. de Fátima e Santa Maria Madalena. Há lateralmente, um altar a N. S. das Dores com imagem do Anjo S. Miguel Arcanjo, um altar ao coração de Jesus e ainda um altar dedicado às Almas com a imagem de Cristo retratado no lenço de Verónica, ladeado à esquerda por um Anjo com um martelo e um alicate numa das mãos e à direita outro Anjo com a vassoura. Há outro altar a N. S. do Carmo com uma imagem de Cristo Criança.

Para além dos altares referidos, existe uma capela interior com um altar em honra do Santíssimo Sacramento e onde estão colocadas as imagens de Santa Bebiana, N. S. da Conceição, Santo António e N. S. do Rosário.

A Igreja remonta ao século XII, acrescentada em 1793 e reconstruída anteriormente a 1940.

Monumento a N. S. de La Salette, senda grande a devoção que lhe é dedicada, realizando-se a sua festa tradicional no 2º Domingo de Setembro de cada ano. A localização é fora da povoação, numa colina próxima, existindo um recinto com um coreto. A capela foi edificada em 1864 mas o culto é de 1858. Esta devoção aparece no Peso por força da aparição em França no ano de 1846. Em 1946 comemorou-se com toda a solenidade o centenário da aparição, sendo oferecida pelas mães da Freguesia uma coroa em filigrana de prata. No santuário existe também uma Capelinha em honra do Mártir S. Sebastião.

Capela do Senhor dos Passos, Capela construída em terrenos cedidos pelo Visconde da Borralha, situa-se ao cimo do Povo e aqui se celebram as exéquias da Quaresma. Estas exéquias ou Passos são das mais antigas, com cânticos apropriados e pertencentes exclusivamente ao Peso. A população nunca divulgou demasiado estes actos tradicionais, para manter a autenticidade e a religiosidade e evitar que o que existe de autêntico e de fé se transforme num « espectáculo» e dai tombe facilmente para o comércio. Esta Capela já sofreu obras de restauro.

Capela do Divino Espírito Santo, situa-se dentro da povoação e têm referência na documentação da Torre do Tombo. O Altar é barroco com talha dourada e ali existe uma imagem do ano 1600. A  festa do Espírito Santo realiza-se anualmente, sete semanas após a Páscoa.

 Está localizada na margem direita do Rio  Zêzere, a pouco mais de 15 km da Covilhã, pela En 513. O pároco Manuel Fernandes, que redigiu as Memórias Paroquiais de Peso, no ano de 1758, descreve-a como "situada em um pequeno alto, abas ou braço da Serra da Estrela, fronteira ao Rio Zêzere que junto a ela corre: dela não se descobre povoação alguma, mais que a aldeia do Pezinho, anexa a esta, em pequena distância...". Andavam então anexos à paróquia, não só o Pesinho, mas também os Vales e a Coutada.

 A matriz de Santa Maria Madalena dependia da de Santa Maria Madalena, na Covilhã, que apresentava o pároco. Já é mencionada a Capela do Espírito Santo. A matriz tem um recheio importante, com destaques para a custódia do altar-mor e para as imagens de Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora da Conceição, Santa Maria Madalena, Santa Bebiana e Santo António. No altar das Almas, a imagem de Cristo, com o lenço da Verónica, está ladeada por um anjo empunhando um martelo e um alicate e outro que empunha uma vassoura. No altar de Nossa Senhora do Carmo, a imagem de Jesus apresenta-o como criança. Na Capela do Santíssimo Sacramento, existe muito boa talha dourada e o tecto é pintado e muito belo. A igreja inicial deve dotar do século XIV, tendo sido reformados nos finais de setecentos e novamente, em meados do século passado.

Numa colina próxima, o povo construiu uma capela de Nossa Senhora de La Salette, nos meados do século XIX. A capela e o local atrai muita gente, especialmente no Verão, aquando das festas que ali se realizam no 20Domingo de Setembro. A capela foi reconstruída ou melhor, construída de -novo na década de 60 do século passado, altura em que era o grande ponto de referência para as muitas famílias de emigrantes da terra e da região. A emigração é aliás o fenómeno mais marcante do ponto de vista económico, social e demográfico das últimas décadas. Actualmente já vão aparecendo algumas pequenas indústrias de confecção, de plásticos e de construção
civil. O artesanato tradicional dedicava-se ao fabrico de mantas de orelos eà cantaria de granito.

Existe uma feira mensal, no 20 Domingo de cada mês.

Do património edificado, além da Igreja Matriz, haverá que referir a Capela do Divino Espírito Santo, com a sua festa, cinco semanas após a
Páscoa, Santa Bebiana que tem altar na Igreja Matriz tem a sua festa no dia 2de Dezembro. Durante a Semana Santa, realizam-se celebrações públicas que congregam muitos fiéis, como sejam a Procissão do Encontro e a Venda do Ramo já no dia de Páscoa. Na Quaresma faz-se a tradicional Encomendação das Almas. Esta "encomendação" é uma espécie decanto, arrastado e lento quase lamentoso em que uns respondem aos outros com orações relativas ao Salvador e aos seus padecimentos.

Quem visitar o Peso deve reparar também
no casario tradicional que se vai perdendo nas fontes populares.

As principais colectividades são a Associação da Juventude do Peso e o Centro de Dia do Peso.

PESO

Com uma população a rondar os 1000 habitantes a Freguesia do Peso, está situada a cerca de 15 km da Sede do Concelho. Não há dados concretos sobre a origem do seu nome. Segundo Pinho Leal" a palavra peso vem do substantivo latino -pondo -o que é susceptível de ser ponderado. Também se chamava peso à balança e havia uma certa medida que se chamava arratel, há também em Espanha a moeda chamada peso".a Lenda popular é como tantas outras, diferente e imaginativa, conta-se que, "um dia um almocreve cruzou o rio de saco às costas, na travessia perdeu alguma mercadoria, não se dando conta do facto, quando chegou à outra margem, terá dito, ó que Pesinho! Já antes teria dito, ó que peso! E assim chegando ao conhecimento popular puseram os nomes de Peso à margem
direita do rio Pesinho, à margem esquerda", mas também há conhecimento que já lhe chamaram Peso daquém e Peso dalém.

A Freguesia tem indústria de confecção, plásticos, serração de madeiras, panificação, serralharia civil, construção civil, distribuição de produtos alimentares, pequeno comércio e agricultura. Também fazem mantas e passadeiras de orelos. Tem de   Património Edificado: a Igreja Matriz, Capela do Divino Espírito Santo, Casario Tradicional, Fonte do Mergulho, do Chafarizito e Ribeiro da Canada, Capela do Sr. dos Paços, Capela do Mártir Sº Sebastião, Santuário de Nª Sr.ª de La Salette, Capela da mesma Santa tem um mercado mensal no segundo domingo de cada mês.

Fazem as festas de Nossa Senhora de La Salette no segundo domingo de Setembro, Divino Espírito Santo cinco semanas após a  Quaresma, Santa Bebiana, a 2 de Dezembro e Encomendação das Almas, na Quaresma, com a Procissão do encontro na Quinta Feira Santa e a venda do Ramo no Domingo Gordo. Em termos de cultura, desporto e solidariedades social, tem: Associação da Juventude do Peso e Centro de Dia do Peso.

Igreja Matriz -Orago, Santa Maria Magdalena

- Segundo informações, os autores de parte desta breve história da Paróquia do Peso, são da autoria de José dos Santos Batista e José Fernando Monteiro Madeira.

5ª Feira Santa 4xn.jpg

Memórias Paroquiais do Peso 1758

RESPOSTAS AOS INTERROGATÓRIOS

Ao primeiro interrogatório se responde que

1 -  Esta terra he Lugar de Pezo fica em Provincia da Beira, no Bispado,e Comarca da Cidade da Guarda, he Freguezia de Santa Maria Magdalena, anexa de si mesma da Villa da Covilhaã.

2  -  Que he DeI  Rey  Nosso Senhor.

3  -  Tem este Lugar do Pezo, quarenta e tres vezinhos: homens setenta, equatro:, mulheres setenta, e huma rapazes vinte, e nove: raparigas vinte, e sette; e toda a Freguezia, contadas as anexas, que no sexto interrogatorio se declarão pellos seus nomes. Tem cento, e trinta, e tres vizinhos; homen, duzentos, e dez: mulheres duzentas, e cinco: rapazes settenta, e cinco: raparigas oitenta, e oito.

4  -  Esta situada em hum piqueno alto, abas, ou braço da Serra da Estrella, fronteira ao Rio Zezere, que junto a ella corre: della não se descobre povoação alguma, mais que a aldea do Pezinho, anexa desta, em pequena distancia, porque  se metem algumas fazendas de huma, e outra, comezmo Rio Zezere.

5  -  Nam tem Termo, mas sim pertence ao Termo da Notavel  Villa da Covilhaã; e dista desta duas legoas.

6  -  Que a Parroquia existe no mesmo Lugar: Tem tres Lugares ou povoações anexas; que sam Pezinho: Valles: Coutada: tem o Pesinho
dezassette vezinhos: Valles quarenta: Coutada trinta, e três.

7  -  Tem por Orago Santa Maria Magdalena, e esta no Altar Maior; alem deste tem mais tres; a saber hum do Santissimo Sacramento, no qual estam as Imagens de Nossa Senhora da Conceição: e de Sancto Antonio, este à parte esquerda, e aquele á parte direita: outro de Nossa Senhora do Rozario, neleexiste a Imagem da mesma Senhora. Fica este á parte esquerda: outro da direita com huma Imagem de Christo Crucificado: nam tem nave alguma: há hem ella quatro Irmandades: do Santissimo: da Senhora do Rozario: das Almas:
e do Divino Espirito Sancto."

8  -  O Parroquo he Cura, a este apresenta o Prior de Santa Maria Magdalena, da Villa da Covilhãa; a quem pertence por ser tambem Prior desta,e, do seu rendimento dará conta.

9ª, 1oª, 11ª, 12ª  -  Não ha couza alguma que se responda.

13, 14  -  Tem huma Ermida do Devino Espirito Sancto; proxima a estaterra. Tem outra no Lugar da Coutada, anexa desta como dito fica comInvocação de S. Sebastiam, fora dele e em pequena distancia, aesta, concorremmuitas pes"oas em Romagem em todo o tempo; mas principalmente no do Verão; ja foi mais frequentada do que no prezente tempo. Outra no Lugar de Valles, com Invocação de S. Antonio; e junto a esta mesma anexa esta outra,que pelos tempos se arruinou, tinha por titulo: a Capella de Sancta Margarida; dizem que foi sua mina, cauzada do terromoto de mil, sete centos, e sincoenta, e cinco. Sam todas estas tres Ermidas pertencentes a esta matriz do Pezo.

Tem mais huma no Lugar do Pezinho com o titulo de S. Pedro; de que headministrador, e senhorio o Prior de S. Salvador da Villa da Covilhaã.

15  -  Os frutos desta terra em maior abundancia, são: senteio, trigo, milho groço, e pequeno: feijam; azeite; linho; castanha; algum vinho; e mel.

16  -  Governa-se com tres Juizes Espadanos; hum nesta terra, ou em Pezinho: anexa desta, e os mais, hum em cada huma das anexas acima referidas: sojeitas ao Juiz de Fora, Camara Villa da Covilhaã: donde he Termo.

17, 18, 19  -  Destes não ha cousa, que se diga, ou responda.

2o  -  Não tem correo: servese do das Villas da Covilhaã, e Fundão tanto para Lisboa, como para outras partes deste Reyno: No tempo de Veram continuamente chega nestas Villas no sabado, e no Inverno no domingo; e dasditas Villas parte sexta feira.

21  -  Dista esta terra da Cidade da Guarda, Cappital do Bispado, oito legoas e de Lisboa, Cappital do Reyno, quarenta e nove.

22, 23, 24, 25  -  Não ha cousa alguma.

26  -  Não houve em toda esta Freguezia mina alguma pelo terramoto demil, sete centos e sincoenta, e cinco: somente na Cappela de Sancta Margarida,que esta junto ao Lugar dos Valles, de que se faz menção no interrogatorio 13e ainda se acha nesse estado.

27  -  Não ha em toda esta Freguezia, cousa alguma digna de memoria,mais do que o que se serve em hum citio junto a esta terra, chamado Os barros; e que semeando-se de senteio ou trigo, como se costuma, cada dois annos, pello meio distancia, ou largura de vara, e meia, não produz, não obstante que nasce no tempo em que hade principiar a tomar espigas, pode acausa ser o da terra amarela; dizem que por causa, o ter por ali passiado huma grade de ouro; o que s6 consta por tradição antiga.

Ha outro citio chamado a Charneca, em hum valle, junto a esta terra, proximo esta a estrada que vai desta mesma terra para o Lugar dos Valles, noqual esta huma pequena barroca, onde se tem tirado algum ouro ha muitosannos athe o presente, neste se viram homens na diligencia de o tirar, lavando a terra em pratos, se dita a sorte ajuntam algum, mas em pouca quantidade, e munto miudo.

A respeito da Serra se responde

Não tem a serra, em que esta situada esta terra, nome proprio; por ser um pequeno monte, e sim de hum que corre junta a ella, braço da Serra da Estrella, como ditto fica, donde sahem, e procedem todas as mais serras e montes dequazi toda esta Provincia da Beira: e como em huma grande concavidade,que forma esta Serra de Estrella, se acha fundada a VilIa de Manteigas, junto ás partes mais montuosas, e agrestes, delIa; em hú grande monte, braço da mesma, a Notavel VilIa da Covilhaã. OelIa darão noticia larga os Reverendos

Parrocuos das dittas VilIas. Somente digo, que dista desta terra o mais altoquasi tres legoas, aonde forma huns cittios, ou valIes, que chamam: Naves,nas quaes se elementão muitos gados grossos, e miudos no tempo de Veram, porque no Inverno pelIas continuas neves, que as cobrem se fazem inhabitaveis.

Entre outros mais rios, que delIa sahem, e nascem, he hum Rio Zezere.

Do Rio desta terra

Ao primeiro interrogatorio se responde que se chama o rio, que junto a esta terra corre, Zezere, nasce junto aos dois mais altos pinhascos da Serra da Estrella, chamados o Cantaró Gordo, e outro Cantaro Magro, ou Delgado; do seu mesmo nascente, traz logo o seu nome.

2  -  Principia pequeno, mas pelas suas continuadas fontes, e regatos, que para elle correm se faz em pouca distancia, cai arrebatado; e correndo distancia de duas legoas se ve já caudaloso aos aredores da Villa de Manteigas, e desta sempre corre junto a esta terra grandemente crescido, pelas muntas ribeiras que com elle se ajuntam; desta sorte continua a sua corrente sempre arrebatada,
e fruriosa em toda a parte, mas principalmente enquanto corre entre os montes da serra.

3  -  Não entra em ele ate esta terra outro algum rio a que se de tal nome, mas sim muitas ribeiras grandes, das quais a maior a que se pode dar o nome de rio, he a Meimoa, porque faz competencia com o mesmo Zezere, tanto na abundancia de agoas, como na criação de peixes, de que abunda como o mesmorio, neste entra em hum sitio chamado a Quinta do Ortigal junto, ou em pouca distancia desta terra.

4, 5,  -  Não he navegavel, nem capaz de embarcaçoens, pelo arrebatadodo seu curso, e corrente, pela aspereza das terras por onde corre, principalmente desde o Lugar do Curondo athe ao Tejo, onde entra, e morre.

6  -  Corre este rio de nome, em que nasce distancia de cinco legoas ao nascentee, dahi ao chul, aondea caba.

7  -  Os peixes que mais cria, e de que abunda sam: barbas; bagas; picoens; eyros; cada qual em seu genero de bastante grandeza, tambem nelle se criam bastantes trutas; e muntas vezes alguns saveis e lampreias.

8  -  Não se fazem em ele pescarias grandes: alguns homens pobres seoxorcitao em elles procuram por este meio algum sustento: mas as mais só sefazem por divertimento.

9  -  São estas pescarias livres em todo o rio, menos naqueles citios, aondeha alguns asudes, ou caneiros particulares, que nestes somente os senhorios delles pescão.

10   -  Não só em esta terra mas em todas as mais se cultivão as suasmargens pellos donos, e senhorios dellas, cada hum nas testadas das suas fazendas: não tem arvoredos notaveis, de que se possa ou deva fazer especial menção mais do que os que fabricam os homens, pa defeza das suas fazendas.

11, 12, 13  -  Não se conhece, nem se sabe que as suas agoas tinhão virtude alguma particular. Conserva sempre 'o mesmo nome em toda a parte, e não ha memoria, queem algum tempo tivesse outro nome. Morre no Rio Tejo, junto á Villa de Punhete.

14  -  Tem alguns asudes, em que são de maior grandeza, he hum junto ao

Lugar do Barco distante desta terra, huma comprida legoa, e da Ponte Pedrinha, que no interrogatorio seguinte se da conta duas legoas: Outro junto do Lugarda Barroca, que dista desta terra tres legoas: estes pela sua grandeza, e fortaleza dizem faz reprezar o rio que remonar em eles anticipadamente corre o rio mais brando, e sossegado. Aos tais asudes aonde chamam vulgar mente
caneiros em que particularmente os seus donos, e senhorios pescam; comofica ditto no nono interrogatório.

15  -  Tem quatro pontes. (Já mencionadas noutras Freguezias).

16  -  Tem lagares, azenhas, moinhos, e noras, e cada hum destes engenhosem abundancia; menos os lagares.

17  -  Não consta que neste rio se tenha tirado, ou tire ouro.

18  -  Das suas agoas uzam os povos para os seus campos livremente, e sem pensão alguma.

19  -  Tem desde o seu nascimento athe onde acaba vinte, e duas legoas pouco mais, ou menos. Sem outra couza alguma mais digna de memoria, que se haja de dar conta nos interrogatorios supra: e por ser verdade que tudo mando fazer este, que assignei.

Pezo, 15 de Abril  he 1758

Sagrada familia.jpg

altar mor.jpg

1Religião (26).jpg

 

1Religião (13).jpg

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27




Mais sobre mim

foto do autor


Colaboradores do Blog

Clique na imagem dos colaboradores

José Batista Vaz Pereira

Belarmino Batista José Santos Baptista

Vídeos




calendário

Abril 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D